ESCRITÓRIOS DO FUTURO

Visitei recentemente uma exposição com o tema “escritórios”, mais precisamente sobre espaços profissionais para o século 21. O evento foi promovido pelas revistas Arquitetura & Construção e Exame, no Edifício Plaza Iguatemi.

Fiquei encantada com o que vi, não somente pelos espaços maravilhosamente projetados e decorados, como também por uma concepção humanista do futuro, o qual já é aqui e agora.

Mobilidade,criatividade sinérgia, produtividade e principalmente bem-estar – essas premissas marcam as relações de trabalho na era do conhecimento e deixam para trás os ambientes hierarquizados e rígidos, onde as atividades eram essencialmente manuais, operacionais e controladoras.

A partir dos anos 90, o trabalho foi extremamente flexibilizado, gerando novas formas de ocupação do espaço e privilegiando o trabalho em equipe, a co-utilização de equipamentos (sharing) e valorizando áreas para encontros informais . Foi também estimulado o trabalho esporádico em casa, o que deu origem aos home oficces, mantendo-se a convivência social e também os elementos da cultura corporativa.

Surgiram conceitos como hoteling, derivado da hotelaria, onde as salas são reservadas por um período de tempo. Essas salas são destinadas à alta e média gerências. Já o free address é voltado para os demais funcionários, os quais podem usar a estação de trabalho que estiver disponível.

Todas as inovações tecnológicas, como a Internet, computadores pessoais, pocket-PCs, notebooks e palm-tops possibilitam a mobilidade e cada vez mais será possível acessar virtualmente o ambiente de trabalho.

O escritório será cada vez mais um lugar de encontros e de convívio social, mas será tambem um espaço de produção confortável, dinâmico, seguro e convidativo ao trabalho.

Alguns espaços chamaram-me muito a atenção, como O Clube, um escritório alternativo utilizado por funcionários que estão fora da empresa boa parte do tempo. O ambiente é voltado para os trabalhos em equipe e os encontros informais, muito futurista na proposta do mobiliário e com arquivos deslizantes abrigando compactos postos de trabalho e até uma copa.

No Boxe de Idéias a ordem é relaxar. Para tanto, estão disponiveis recursos como música, aromaterapia e até um aparelho que fornece oxigênio. Tudo em nome da redução do estresse e melhoria da produtividade.

Estamos ainda em uma fase de transição do escritório criado no século passado para o da modernidade. O antigo ainda está entre nós, valorizando questões como hierarquia, controle e status. A tendência, no entanto, é de valorizar o capital intelectual e o conhecimento, tornando as pessoas realmente o ativo mais importante das organizações.

Até a proxima semana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *