SAINDO DE CASA

É comum nesta época do ano vermos muitos jovens com caras pintadas e cabeças raspadas pedindo contribuições nos semáforos da cidade. A fase de ingresso na faculdade é marcada por diversos rituais de iniciação. A idéia é dar as boas vindas aos “bichos” e integrar os novos alunos ao “território” já dominado pelos veteranos.

Fazer os calouros pedirem dinheiro é, pelo menos, uma prática engraçada e até saudável. Penso que qualquer pessoa racional e inteligente gostaria de ver o chamado “trote violento” definitivamente abolido e os responsáveis por eles exemplarmente punidos com o rigor da Lei.

Para muitas famílias, esta é também uma época para uma empreitada nada fácil: seus filhos entram em faculdades de localizadas em outras cidades (muitas vezes até em outros Estados) e têm de transferir-se para lá, de mala, cuia e papagaio. Além da distância e das saudades, há também o problema do onde e como morar durante o período de duração do curso universitário.
Se se quiser escapar da alternativa das “repúblicas”, é preciso encontrar um canto certo e adequado, com um jeito de morar que preserve a identidade e a integridade dos jovens, ofereça as condições necessárias à concentração e ao estudo, estimule suas idéias e permita a eles o convívio um descontraído, construtivo e enriquecedor com seus amigos e colegas.
Na escolha do lugar, leve em conta, além dos fatores naturais de proximidade da faculdade e segurança, o entorno e os serviços próximos à disposição: padarias, supermercados, lavanderias e outros. Quando possível, procure um imóvel tipo flat, pois estes têm este serviço, o de arrumação e de limpeza inclusos.

A decoração deve ser prática e levar em consideração o bem estar e o gosto dos estudantes, que buscam liberdade e independência (tudo o que eles não querem é morar em um ambiente que lhes lembre a própria casa, “dominada” pelos pais).
Todas as peças escolhidas devem ter o propósito de facilitar o dia-a-dia da nova vida.
Converse com seus filhos sobre um tema da preferência ou hobby e ofereça-se para ajudar na decoração (não imponha suas idéias, autoritariamente). Disponha as peças e objetos de forma despojada, visando, principalmente, à atividade de estudo. Organize de forma a tornar o aprender e o morar duas atividades prazerozas.

Até a próxima semana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *